1.º de Maio - Um pouco de história

Um pouco de história.
No dia 1.º de Maio de 1886, cerca de meio milhão de trabalhadores saíram às ruas de Chicago, nos Estados Unidos, em manifestação pacífica, exigindo a redução da jornada de trabalho para as oito horas. A polícia reprimiu a manifestação, dispersando a concentração, depois de ferir e matar dezenas de operários.
Mas os trabalhadores não se amedrontaram e no dia 5 de Maio, quatro dias depois da manifestação, voltaram às ruas e foram novamente reprimidos, resultando desta acção 8 lideres presos, 4 trabalhadores executados e mais 3 condenados a prisão perpétua..
A luta não abrandou e a solidariedade internacional, forçou o governo americano a anular este falso julgamento em 1888, sendo os trabalhadores libertados.
Em 1889, reunido em Paris, o Congresso Operário Internacional, que contou com a presença de dois delegados portugueses, decretou que o 1.º de Maio passaria a ser um dia de luta e de luto, passando denominar-se Dia Internacional dos Trabalhadores. Em 1890 os trabalhadores americanos conquistaram a jornada de trabalho de 8 horas.
Os primeiras grandes festejos em Portugal realizaram-se em 1890, mas só em 1919 se conseguiu a aprovação da Lei que estipulava a jornada das 8 horas para o comércio e indústria. As manifestações mais significativas, em Portugal, realizaram em 1962, um ano após o início das guerras coloniais, com cerca 200 mil manifestantes, dos quais, 100 em Lisboa, 20 mil no Porto e 5 mil em Setúbal, e em 1974, logo após o 25 de Abril.
Na foto, a solidariedade internacional está bem patente, nesta manifestação em Paris, com a presença de muitos trabalhadores portugueses emigrados.